sexta-feira, 4 de maio de 2018

Turma do curso MBA em Marketing e Vendas da PUC Minas

Turma da oferta 1 do curso MBA em Marketing e Vendas da PUC Minas

A convite do amigo Edimilson Melo, coordenador do curso MBA em Marketing e Vendas da PUC Minas, iniciei o módulo: Estratégia e Gestão de Relacionamento com os Clientes, nesta sexta-feira, 04maio2018.
Na foto, a partir da esquerda: Cássio Gozuen, Carlos Henrique Brunelli (meu ex-aluno Cadu), Mário de Vasconcelos (de Itumbiara), Fábio Ferreira, Aender Vilaça, Adriel Teixeira, Daniel Gonçalves, Cynthia Ferreira, Marco Túlio Ribeiro, Joyce Lobato e Flávia Regina Alves (de Rio Verde). À frente, eu e Ronei Borges Jr. (de Iturama). 
Não participaram da foto, os acadêmicos Andrei Luiz Mazzo e Gustavo Rodrigues Rosa.
Aproveito a oportunidade para agradecer a todos pela forma carinhosa com que me receberam.
Super obrigado!

sábado, 28 de abril de 2018

Turma de pós em Marketing e Vendas da Faculdade Pitágoras

MBA em Marketing e Vendas da Faculdade Pitágoras de Uberlândia
A convite da amiga e coordenadora geral das cursos de pós-graduação da Faculdade Pitágoras, tive a honra de ministrar o módulo: Branding e Pesquisa de Mercado para uma turma muito especial do curso MBA em Marketing e Vendas da Faculdade Pitágoras de Uberlândia.
Na foto, a partir da esquerda, a gestora em Agronegócio, Karina Martins (da cidade de Uberaba), o administrador Rodrigo Naves Oliveira (da cidade de Araguari), a historiadora Maria Amélia Paris, eu e a administradora Letícia Naves de Oliveira (da cidade de Araguari).
Quero registrar aqui meus agradecimentos a todos pela maneira cortês com que me receberam e aproveito para parabenizá-los pelo comprometimento com o curso.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Você sofre de nomofobia?

Desconforto de ficar longe do celular ou do computador

Origem do termo nomofobia

Essa palavra surgiu na Inglaterra como no-mobile ou, de maneira abreviada, no-mo que significa “sem celular". Por este motivo, a tradução para nomofobia.
A necessidade de se criarem palavras para explicar novos comportamentos pode ser analisada por dois pontos de vista: inegavelmente, o mundo está mudando, a tecnologia avançando e, consequentemente, novas atitudes e comportamentos surgem. Portanto, é necessário que as línguas e os vocabulários se adaptem às novas tendências e costumes. E é ótimo que isso aconteça!
Por outro lado, se analisarmos os significados desses novos termos, não restará dúvida sobre a gravidade dessas novas atitudes – que é a dependência cada vez maior em relação aos dispositivos tecnológicos.
As pessoas passam a trocar a convivência presencial pela companhia dos smartphones. E quando não se tem ou não se pode estar conectado, a angústia é gerada, criando uma sensação de estarmos incompletos, fora do mundo.

Internet e redes sociais: até que ponto estamos realmente acompanhados?
A facilidade da conexão trouxe a falsa percepção de se estar sempre acompanhado, mesmo quando se está sozinho. As pessoas, inclusive, passam a preferir ficar sozinhas, porque não sentem que estão, de fato, sozinhas.
Gostaria de convidar-los para uma reflexão: até que ponto as redes sociais representam, de fato, uma companhia? Será que as relações criadas virtualmente podem ser consideradas amizades? E, mais ainda, será que realmente nós não nos sentimos sozinhos ao substituir, em grande parte, as relações presenciais pelas relações virtuais?
Deixamos aqui os questionamentos e a reflexão com um único objetivo: de incentivar o uso da tecnologia, dos dispositivos e das redes sociais a nosso favor para, ao invés de deixarmos todos esses recursos nos dominarem, nós não perdermos nunca o controle sobre eles.

sábado, 7 de abril de 2018

Apresentações dos acadêmicos da pós em Gestão de Pessoas

Hoje, no segundo encontro do módulo: Clima, Cultura e Poder nas organizações, do curso de pós em Gestão de Pessoas da PUC Minas, turma 2018/01 foi o sábado reservado para as apresentações das equipes sobre as variáveis que afetam o clima organizacional.

Dinâmica: Aceita o desafio?

Huguismar Franco, Josiane Aquino e Daniel Rosa

Os acadêmicos acima trabalharam o tema: "Motivação" realizando uma dinâmica em grupo denominada: "Aceita o desafio?"


Luciana Figueiredo, Marcela de Freitas e Verônica Schinagi

As acadêmicas acima expuseram sobre Comunicação, focando os perfis organizacionais.

Carlos Vinícius, Amanda Campos e Rodolfo Luiz

Os acadêmicos acima apresentaram o tema: "Liderança". 

Registro aqui meus parabéns a todas as equipes pelo brilhantismo nas apresentações.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Projeto Neuroaprendizagem do Colégio Shalom

Projeto Neuroaprendizagem - Encontro com os pais

A ciência do cérebro e do comportamento aplicada à aprendizagem

Nesta terça-feira, 27marços2018, a convite do diretor geral do Colégio Shalom, prof. Anderson Lima, do coordenador do Fundamental II e Ensino Médio, prof. Vanderson Batista e da coordenadora do Maternal e Fundamental I, profa. Teresa Cristina Diniz, tive a oportunidade de conversar com as famílias dos estudantes do Colégio Shalom a respeito das mais recentes descobertas da Neurociências.
O Projeto Neuroaprendizagem sustenta-se na tríade: professores, estudantes e famílias.
Ontem à noite conversamos a respeito da maneira correta de estudar e aprender para sempre, pois nas escolas do nosso país temos milhões de alunos e pouquíssimos estudantes. 
O modelo vigente estabelece a cultura de se estudar para as provas, para “tirar” nota e não para apreender. O problema não está na falta de aulas, mas sim na falta de estudo.

A aplicação do Projeto Neuroaprendizagem visa eliminar três equívocos do sistema educacional: 
a) um grave: os alunos não sabem se comportar durante as aulas.
b) muito grave: os alunos odeiam ler. 
c) gravíssimo: os alunos deixam para estudar apenas na véspera das provas. 
A verdadeira missão de uma instituição de ensino é desenvolver ao máximo, a inteligência de seus alunos. 
As mais recentes descobertas da Neurociência deixam claro que, inteligência, talento e vocação são qualidades aprendidas, portanto ensinadas e estimuladas, só que de uma forma tão precoce, que as pessoas pensam que elas são inatas. 
Este Projeto Neuroaprendizagem pretende fornecer aos profissionais ligados à área da educação, aos estudantes e  às famílias, conhecimentos sobre os processamentos cerebrais envolvidos no ato de aprender, assim como os fatores que podem gerar transtornos da aprendizagem, tendo em vista sua aplicação prática, com ênfase nos contextos educacionais.

BUSCA PERSONALIZADA

Busca personalizada